O que é?

 

O EcoMusicalis Lauraceae é um Ciclo de anual de quatro concertos em ambiente natural dedicado exclusivamente ao Município do Porto Moniz. Como tal, a Câmara Municipal do Porto Moniz é tido como um parceiro estratégico para a efetivação do mesmo, sendo inclusive o sponsor exclusivo para estes concertos.

Uma das particularidades deste ciclo tem a ver com o facto de ser efetivado exclusivamente nas quatro freguesias do Porto Moniz (Achadas da Cruz; Porto Moniz; Ribeira da Janela; Seixal). Outra das particularidades inerentes a este ciclo, prende-se com o princípio da atribuição em jeito de homenagem, a cada um dos concertos, o nome de uma das Lauráceas (Til; Vinhático; Barbuzano; Loureiro) bem presentes na nossa Laurissilva. Como tal, atribuiu-se as seguintes denominações aos diferentes concertos, conforme a predominância por freguesia:

·         Concerto do Til | Ribeira da Janela;

·         Concerto do Loureiro | Seixal;

·         Concerto do Vinhático | Porto Moniz;

·         Concerto do Barbusano | Achadas da Cruz

Onde se realiza?

 

Uma das particularidades deste ciclo tem a ver com o facto de ser efetivado exclusivamente nas quatro freguesias do Porto Moniz (Achadas da Cruz; Porto Moniz; Ribeira da Janela; Seixal), em locais de elevado interesse natural e paisagístico, tais como:

 

·         Fanal | Freguesia da Ribeira da Janela;

·         Poço do Candeeiro (Chão da Ribeira) | Freguesia do Seixal;

·         Piscinas Naturais do Porto Moniz | Freguesia do Porto Moniz;

·         Calhau das Achadas da Cruz | Freguesia das Achadas da Cruz;

Outra das particularidades inerentes a este ciclo, prende-se com o princípio da atribuição em jeito de homenagem, a cada um dos concertos, o nome de uma das Lauráceas (Til; Vinhático; Barbuzano; Loureiro) bem presentes na nossa Laurissilva. Como tal, atribuiu-se as seguintes denominações aos diferentes concertos, conforme a predominância por freguesia:

·         Concerto do Til | Ribeira da Janela | Fanal;

·         Concerto do Loureiro | Seixal | Poço do Candeeiro;

·         Concerto do Vinhático | Porto Moniz | Piscinas Naturais;

·         Concerto do Barbusano | Achadas da Cruz | Calhau das Achadas da Cruz

Porque se realiza?

O Município do Porto Moniz sendo o município que absorve a maior mancha de Laurissilva da Região Autónoma da Madeira agrega um elevado potencial de Natureza que consolida em si um manancial de opções coadunantes com o conceito EcoMusicalis.

Por outro lado, tendo a sua sede no concelho do Porto Moniz, a Retoiça efetivou um protocolo com a autarquia local no sentido de, na medida das suas possibilidades, valorizar e potencializar através da arte musical, este território com 82,93 Km2, muitos deles envoltos da mais pura e intacta natureza.

Quando se realiza?

O EcoMusicalis Lauraceae  tem por objetivo a realização de um ciclo anual de quatro concertos distribuídos pelos meses de Abril, Junho, Julho e Outubro de cada ano.  

Como se realiza?

Como qualquer outro concerto dentro do conceito EcoMusicalis, o ciclo de concertos EcoMusicalis Lauraceae  realiza-se, sobretudo, em espaço natural e que simbolize a beleza natural de cada freguesia.

Histórico

 

A variante EcoMusicalis Lauraceae surge de uma proposta da Retoiça - Associação Cultural, Desportiva e Recreativa prontamente aceite pela Câmara Municipal do Porto Moniz (então liderada pelo Sr. Emanuel Câmara), para a realização de um ciclo de concertos (um por cada freguesia) em locais emblemáticos do Concelho da Porto Moniz com relevância paisagística. O primeio ciclo contou com os seguintes agrupamentos:

 

2015

 

  • Concerto de Apresentação (Aquário do Porto Moniz) | 07/02 | Con(m)tex(s)to;

  • Concerto do Barbusano | 01/05 | Elisa Silva & Gonçalo Caboz;

  • Concerto do Loureiro | 21/06 | Sax In Duo & friends;

  • Concerto do Vinhático | 27/07 | Con(m)tex(s)to (formato alargado);

  • Concerto do Til* | 22/03 | 13/09 | EcoTrio;

*Concerto realizado no miradouro da Eira da Achada

 

2016

 

  • Concerto do Barbusano | 01/05 | Elisa Silva & Gonçalo Caboz;

  • Concerto do Loureiro | 19/06 | EcoTrio;

  • Concerto do Vinhático | 25/07 | Elisa, Gonçalo & Bernardo;

  • Concerto do Til** | 18/09 | 13/09 | Clara & Carolina;

**Concerto realizado no miradouro da Eira da Achada

 

2017

 

  • Concerto de Apresentação (Aquário do Porto Moniz) | 11/02 | The Grumpies;

  • Concerto do Til | 02/04 | Fire Pocket Band;

  • Concerto do Loureiro | 11/06 | Susana Brandão & Vítor Anjo;

  • Concerto do Vinhático | 27/07 | Elisa Silva & amigos;

  • Concerto do Barbusano | 28/10 | Wilson Correia & Sarah Borges;

 

2018

 

  • Concerto do Til | 07/04 | **;

  • Concerto do Loureiro | 24/06 | Elisa Silva & Tiago Silva;

  • Concerto do Vinhático | 23/07 | Triângulo;

  • Concerto do Barbusano | 27/10 | **;

**Concerto cancelado por motivos meteorológicos

 

2019

 

  • Concerto do Til | 13/04 | Kairos;

  • Concerto do Loureiro | 23/06 | Trigo;

  • Concerto do Vinhático | 22/07 | Quarteto Moritz;

  • Concerto do Barbusano | 26/10 | Upright Ntet;

Lauráceas

 

As plantas mais comuns na Laurissilva e que deram origem ao seu nome são as lauráceas, nomeada mente: o Loureiro; o Til; o Barbuzano e o Vinhático.

O Loureiro, cujo nome científico é Laurusnovocanariensis é uma árvore com até 20 metros de altura, com folha persistente, de copa bastante densa, com flores pequenas branco-amareladas (apresentando floração de novembro a abril) e os frutos são de forma ovoide e negros quando maduros.

Nos troncos é comum encontrar a madre-de-louro (cecídias) que é muito utilizado em medicina popular, e que resulta da ação de um fungo específico.

As folhas do loureiro são muito utilizadas na culinária, os ramos servem de espetos nas “espetadas”, e com as suas bagas é produzido o azeite de louro muito utilizado na medicina popular.

 

O Til é outra laurácea, cujo nome científico é Ocoteafoetens. É uma árvore exclusiva da Madeira, Açores e Canárias, ocorrendo entre os 400 e 1400m na nossa ilha. É de folha persistente e atinge os 20 a 30 m de altura e em alguns casos os 40 m. O seu tronco é rugoso e irregular, e a sua madeira é escura e dura e liberta um odor caraterístico quando cortada. As flores são esbranquiçadas com laivos de verde e amarelo pálido libertando um leve odor adocicado (apresenta floração de junho a agosto). O fruto é uma baga dura e carnosa, de cor verde-escura que vai escurecendo com o amadurecimento, tendo recoberto a sua metade anterior por uma cúpula, assemelhando uma bolota. Estes frutos servem de alimento a diversas aves, como é o caso do pombo-trocaz.

 

O Vinhático, cujo nome científico é Persea indica, também é uma laurácea de folha persistente e que atinge os 25 m de altura, com copa ampla e arredondada, com folhas lanceoladas verde-claras que se tornam avermelhadas ao envelhecer e com pecíolos igualmente avermelhados. Apresenta flores pequenas esbranquiçadas (floração ocorre ente agosto e novembro) e os frutos são bagas ovoide-elispsóide. É uma árvore endémica da Madeira, Açores e Canárias.

A madeira desta árvore, de cor amarelada ou rasada, conhecida como mogno das ilhas foi muito valorizada ao longo dos tempos e utilizada em marcenaria e a sua casca era usada para curtir peles.

 

O Barbusano é uma laurácea endémica da Madeira, Açores e Canárias, cujo nome científico é Appoloniasbarbujana. É de grande porte podendo atingir 25m de altura, de folha persistente verde-escura, copa arredondada, flores pequenas branco-esverdeadas (com floração entre outubro e maio), e baga de forma ovoide e escura. Apresenta uma característica nas suas folhas que é a existência de protuberâncias que lembram verrugas resultantes das picadas de um ácaro específico.

A sua madeira foi utilizada ao longo dos tempos na construção naval, fabrico de utensílios agrícolas e fusos de lagar.

Texto gentilmente cedido pelo Instituto das Florestas e Conservação da Natureza

Nosso parceiro

logos cmpm1.png
  • Facebook - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle

© 2019 | Retoiça - Associação Cultural, Desportiva e Recreativa